Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

20 março 2007

Mar ervilha






Aqui está um dia que gosto de comemorar. Enfatizo os outros, todos, dias. Poesia. Seiva-me os dias. Não preciso de flores jantares ou especiais lembranças para lembrar poesia. Faço dela a espuma onde flutuo felicidades e infelicidades. Vitórias e derrotas. Brinco em escritas em desrimas em palavras em sons no sabor do instante em que me vai a alma. Brincos na humanidade, no que me dá ou tira. Brincos nas soberbas franjas de mim e recomponho-me na almofada poética que me ampara todos os instantes e que coincide com as sessões da vida. Perco-os rasgo-os esqueço-os em livros bancadas cestos nos locais mais inverosímeis nos recônditos neuronais só quando insistentemente trauteantes.


Mánta di lenda
na mánha quim
tem di poémá!


mantenhas

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home