Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

29 junho 2007

Verão


É assim a gosto do Verão, do corpo que desiberna, que floresce para o sol e brisas nocturnas, onde a mente clarifica hipotéticos teoremas resolvidos na areia de dunas bravias e tudo é mais leve e mais simples e mais espontâneo e muito com todo o sentido e as origens apelam a pele e eis que verão ... a gosto!

Verão o afrouxar do verbo da pele da mente
Verão o bronzear dos sentidos nas nuances
Verão a vida malvada esquecida nas praias
Verão o céu de cadeiras esculpidas na areia
Verão lambretas escorrer gelo estupidamente
Verão tremoços inchados de malandragem
Verão água no horizonte de íris semi serrada.
Solarengas mantenhas

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home