Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

20 junho 2006

Feet Back



Muito simplisticamente tudo o que implica movimento leva-me, invariavelmente, à dança. Ritmos moderados, giros, existenciais, coordenados sempre por um pulsar interior a que raramente me dediquei mas que me sinto endémico. Indolentemente enbalo-me - se me sinto em baixo, rocko-me - se frenética, balanço-me - se pensativa. Bailo-me. Muito. Sempre.

Ás vezes sinto-me bailada também. E não propriamente numa coordenação motora ou entrosada de pares, com melodias, ritmos e sons harmónicos mas como que uma comichão compassada de neurónios em ebulição que me transportam não só o sangue mas o meu Eu.

O pulsar cadenciado de mim ultrapassa-me em raciocínios.
E bailo-me ... frenética, energética, patéticamente esfomeada.
Bailem Sempre Muito

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home