Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

06 dezembro 2007

Spe Salvi



Como me 'inspiro' para postar. perante as imagens, de pés :)) escrevo ao som delas. Nem sempre. Por vezes martela-me algo durante o tempo suficiente para me interessar ou debruçar sobre o tema e acabo por escrever sobre ele. A Paz é um desses temas que me tem acompanhado ao longo da vida e que me retoma ciclicamente. Talvez por ter entrado em Dezembro, mês lindo que adoro: Paz.
Muitos de nós confundimos o sossego com Paz. Muitos de nós, julgamos que, passear por entre árvores floridas ou á beira de rios luminosos, obtemos a tão famigerada Paz. Não aquela paz que significa ausência de guerra mas sim a Paz interior, aquela que não se deixa afectar por problemas externos e que não abala a tranquilidade mental. Aquela Paz que nos ajuda a lidar com as situações com calma e racionalidade, ainda assim mantendo a felicidade interior. Muito importante, pois mesmo que a vida seja materialmente confortável, permanecemos aborrecidos, preocupados ou infelizes conforme as circunstâncias e, só, por não termos essa Paz interior. Como obtê-la? Caminhando.

Mantenhas

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home