Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

04 dezembro 2007

Sol i dó


Vejo amiúde a solidão ser referida com um ar de fatalidade ou mesmo de coisa má que me entristece. A solidão é-nos intrínseca, pelo simples facto de que somos egoístas e soberbos. Somos os únicos, bons e detentores da verdade, mesmo quando discursamos em sentidos contrários, no nosso íntimo e nem sempre conscientemente, somos déspotas de nós mesmos. O perdão e a humildade é dos fracos. A cedência, a compreensão, a partilha não existe na sociedade contemporânea. Cultivamos o imediato, a qualidade de vida, o direito a ser feliz com uma leviandade atrós. Negligenciamos os amores ágape e filos e endeusamos o eros, esquecemo-nos que são todos parte de um que nos poderia aproximar de algo como a felicidade. E assim parecemos aqueles transatlânticos onde nos deslumbramos sem necessidade de saber o destino de Nós mas sempre com uma angústia incontida de sabermos o que somos. Andamos ao sol com dó de nós próprios.
"Pos isso somos quem somos
Estrelas de um só momento
Mas cujo brilho ameaça
A ordem do firmamento"
(Manduka)
Mantenhas

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home