Gatabaia

"Se procurarmos a verdadeira fonte da dança e nos virarmos para a Natureza verificamos que a dança do futuro é a dança do passado, a dança da eternidade, que sempre foi e será a mesma." Isadora Duncan (1878-1927)

16 novembro 2006

Roteiro 4


O Mar de António Gedeão. Por ser o dia do Mar. Quis escrevê-lo embalada no ritmo da sua poesia, ondular-me em gáveas, biltres e sargaços. Fui ao poema do alegre desespero e comprei-lhe dez reis de esperança. Manuel Freire fez-me um arrepio na lembrança da sua Pedra. A simplicidade e humildade das palavras deste Senhor Rómulo Gedeão ou António de Carvalho. Que cócegas nestes sentidos.

Mantenhas salgadas

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home